Fale conosco
Conte-nos um pouco sobre o que está pensando ou precisando
Auxiliamos na Transformação Digital do seu negócio
CRM Inteligente
Nome completo
E-mail
Telefone
O que você espera com CRM Inteligente?
Blog Bytebio
O que é Internet das Coisas e como aumentar sua lucratividade com ela
Entenda o conceito de Internet das Coisas (IoT) e veja como sua empresa pode se beneficiar com ela em processos do seu dia a dia.

Neste post você vai ver:

O que é Internet das Coisas (IoT)?
IoT (Internet of Things) é o conceito que busca unir o mundo físico e digital que pode – e deve – ser aplicado na sua empresa.
Exemplos de aplicações de Internet das Coisas
Alguns exemplos são o Google Glass, os óculos de realidade virtual, os Smartwatches e outros dispositivos que se encaixam na categoria Wearables. Quer saber o que é isso? Corre lá no texto.
Quando surgiu a Internet das Coisas?
A Internet das Coisas surgiu, de fato, em 1999 em uma iniciativa da Procter & Gamble (P&G) em 1999 visando otimizar seu processo de logística de forma digital.
Benefícios de aplicar Internet das Coisas
  • Diferencial competitivo;
  • Inovação;
  • Otimização do tempo trabalhado;
  • Automação de processos;
  • E muitos outros, veja a lista completa aqui nesse post.
Internet das Coisas, Digitalização e Transformação Digital
Apesar de muita gente achar que os dois conceitos são sinônimos, eles não são. A Digitalização é apenas uma etapa rumo a um mundo virtual. Enquanto IoT, assim como a Transformação Digital, é muito mais ampla, que pode unir vários objetos em um só e, portanto, é capaz de gerar dados detalhados e contínuos através da tecnologia.
Diferença entre Internet das Coisas e Presença Digital
Esses dois conceitos representam estratégias bem diferentes e áreas distintas da empresa.

Presença digital é a maneira como a sua marca se posiciona meios digitais para construir sua imagem e relacionamento com os consumidores, IoT tem muito mais a ver com Tecnologia.
IoT no Brasil e no mundo
O destaque mundial vai para Barcelona, que já conta com mais de 83 projetos inovadores que visam melhorar a qualidade de vida dos moradores e turistas.

Esses projetos envolvem melhorias no transporte, uso inteligente dos recursos energéticos, gestão do lixo, entre outros.

No Brasil, apesar de caminhar a passos curtos, devido ao alto custo das tecnologias, o escritório do W3C é quem está à frente de difundir o conceito para o país todo.

O que é Internet das Coisas e como aumentar sua lucratividade com ela

Agora que você já sabe o que preparamos para você nesse post, vem com a gente!
Mesmo que você não conheça ou não saiba o conceito do termo Internet of Things (IoT), nós garantimos que sua vida já está imersa nele há muito tempo.

Esse conceito, traduzido como "Internet das Coisas", merece toda nossa atenção, e já está revolucionando todo nosso dia a dia, mudando a forma como fazemos tarefas cotidianas e a maneira como trabalhamos.

A ideia por trás do conceito é que o mundo físico e o digital se tornem um só e que toda nossa vida cotidiana seja conectada à rede mundial de computadores. Como exemplo, podemos citar o Google Glass, que foi uma das primeiras inovações a popularizar esse conceito.

O acessório do Google em forma de óculos, permite que o usuário tire fotos, mande mensagens e faça videoconferências apenas com comandos de voz.

Quer saber mais sobre esse termo e descobrir como aplicar na sua empresa? A Bytebio vai te explicar tudo e mostrar o que realmente muda com a aplicação desse conceito.

Quando surgiu a Internet das Coisas (IoT)?

A ideia de conectar objetos é discutida desde 1991, com a popularização da Internet e do protocolo TCP/IP.

Nessa época, Bill Joy, cofundador da Sun Microsystems, pensou sobre a conexão de Device para Device (D2D). Isto é, uma ligação de "várias webs". No entanto, somente em 1999, Kevin Ashton, do Massachusetts Institute of Technology (MIT ), propôs o termo "Internet das Coisas" numa apresentação para os executivos da Procter & Gamble (P&G).

A ideia, naquela época, era facilitar a logística da empresa, etiquetando eletronicamente todos os produtos.

O assunto era novíssimo e gerou bastante repercussão, até que, dez anos depois, em 2009, Ashton escreveu o artigo "A Coisa da Internet das Coisas", para o RFID Journal.

De acordo com ele, a rede oferecia, naquela época, 50 Pentabytes de dados acumulados em gravações, registros e reprodução de imagens. De acordo com Ashton, a limitação de tempo e da rotina fará com que as pessoas se conectem a Internet de outras maneiras.
O conceito de Internet das Coisas surgiu em 1999 com o objetivo de facilitar a logística da P&G com sistema de etiquetamento eletrônico
E esse conceito já está se tornando cada vez mais parte do nosso dia a dia. Essa revolução tende a ser maior do que o próprio desenvolvimento do mundo online que conhecemos hoje.

Quais os pontos positivos de se

implementar a Internet das Coisas?


Para as empresas, a inovação e lucratividade representam o maior benefício. Porém, através dela, conseguimos, entre outros aspectos:

  • Reduzir e economizar recursos naturais;
  • Poupar recursos energéticos

Muitos estudiosos, inclusive, dizem que essa é a Revolução Industrial 4.0 e representa a última etapa do processo de desenvolvimento da computação. Mas será que eles têm razão ou que, no futuro, iremos nos surpreender ainda mais?

Aplicações da Internet das Coisas

Atualmente, a Internet das Coisas se relaciona em tudo na vida das pessoas, desde pequenos gadgets até em grandes infraestruturas. Mark Weiser, um dos maiores estudiosos da Ciência da Computação, diz que:

"A IoT concretiza a fase em que a informática se consolida de modo onipresente na vida das pessoas."

Grandes empresas buscam, cada vez mais, se adaptarem a esse conceito. Vamos ver alguns exemplos abaixo.

Óculos de Realidade Virtual

O VR (Realidade Virtual) foi criado para deixar o usuário imerso em um ambiente criado digitalmente. Com ele, é possível não apenas visualizar um mundo digital, mas também interagir com ele.

É utilizado em vídeo games e já foi até implementado em parques como o Sea World, a fim de garantir mais radicalidade e emoção em sua montanha russa Kraken.

Apesar de o parque ter encerrado o uso da realidade virtual no brinquedo, por motivos não revelados, esse é mais um exemplo onde a IoT pode ser usada no setor de entretenimento.

Magic Band

A Disney, claro, também não ficou de fora, quando criou sua Magic Band. Essa pulseira incrível cria uma experiência imersiva e personalizada dentro do parque, por meio da tecnologia da radiofrequência.
Visando aprimorar a experiência de cada um que entra no mundo mágico do Walt Disney World, através dela, o convidado aproxima seu pulso dos totens e acessam o parque, entram no quarto do seu Hotel Resort Disney, fazem compras em locais específicos, acessam o sistema de fura fila previamente selecionados e podem, até, vincular as fotos tiradas por fotógrafos Disney em suas contas do aplicativo My Disney Experience.

Fitbit


A pulseira inteligente Fitbit monitora as atividades físicas das pessoas que a utilizam. Isto é, passos, calorias, qualidade do sono, tudo através da análise dos batimentos dados.

Mostrando que a Internet das Coisas também tem muito à agregar na área de saúde e esporte.
A IoT concretiza a fase em que a informática se consolida de modo onipresente na vida das pessoas.

Mobii



Atualmente, está sendo desenvolvido o protótipo Mobii, com a parceria das empresas Ford e Intel.

Ele promete reinventar o interior dos automóveis, pois a ideia é que quando uma pessoa entrar em um carro com essa tecnologia, uma câmera vai reconhecer o rosto do motorista e oferecer informações sobre seu dia a dia, recomendando rotas no GPS e músicas que ele gostará de ouvir.

Além de tornar a experiência do motorista mais completa e agradável, o Mobii tira uma foto e envia para o celular do dono do automóvel, a fim de evitar possíveis furtos.

Elevadores inteligentes




E como se não bastasse tanta tecnologia, ainda podemos citar a parceria da fabricante de elevadores Thyssenkrupp com a Microsoft.

Juntas, elas desenvolveram um sistema online que monitora os elevadores através de call centers e assistência técnica. O intuito é gerenciar em tempo real e evitar acidentes nos elevadores. Já pensou nunca mais ninguém ficar preso dentro dos elevadores por falta de manutenções preventivas?

Smartwatches e outros wearables





Certamente, você vai se interessar por saber mais sobre esse assunto quando descobrir que eles são dispositivos tecnológicos que funcionam como roupas e um exemplo bastante conhecido são os Smartwatches.

Mais do que simplesmente mostrar as horas, esses relógios conectam com o seu smartphone e permitem a realização de diversas funções, como o acesso a caixa de e-mails, a visualização de atualização nas redes sociais e mensagens do WhatsApp, entre outras.

Como pequenas empresas podem investir

em IoT?

Você pode estar pensando que só as gigantes do mercado tem capacidade e budget para investir em IoT. Mas vou te mostrar agora que você pode sim aplicar IoT na sua empresa, independente do tamanho ou segmento que ela seja.

Vários processos que estão presentes em todas empresas podem ser alavancados com IoT. O Bitrix24 é uma excelente e acessível ferramenta que pode te ajudar. Com a plataforma você consegue automatizar processos, gerenciar seus canais de contato, criar e configurar pipelines e muito mais.

A Fusion Soluções Jurídicas conseguiu aumentar seu faturamento em quase 40% com o uso do Bitrix24 parametrizado pela Bytebio. Clique aqui para ver o resultado dessa parceria.

Diferença entre Internet das Coisas e

Digitalização

Os dois termos podem ser facilmente confundidos, mas eles não são sinônimos.

A digitalização pode ser definida como uma ação de criar uma versão digital de um objeto físico, como por exemplo, uma foto de uma CNH no seu celular, ao transformar um documento em papel para um arquivo JPG, PNG ou PDF.

Já a Internet das Coisas é um conceito muito mais amplo, que não transforma nada, muito pelo contrário, ela cria algo totalmente único, que pode agregar vários objetos em um só.
Internet das Coisas, Digitalização e Transformação Digital são termos semelhantes, porém diferentes
Portanto, o que mais diferencia um objeto inteligente de um simples dispositivo conectado à Internet é a capacidade de geração de dados detalhados e contínuos por meio da tecnologia Big Data.

Para que a IoT funcione, é necessário que a empresa seja totalmente digital e imersiva nesse mundo.

Diferença entre Internet das Coisas e Presença Digital

Presença digital é a maneira como a sua marca se posiciona e utiliza os meios digitais para se mostrar relevante e manter um relacionamento com os consumidores.

Um dos maiores exemplos hoje é a Netflix, que interage de uma maneira incrível com seus seguidores através das redes sociais. Gerando milhões de de curtidas, compartilhamentos e, até mesmo, atraindo novos assinantes.

Ela tem muito mais a ver com o Marketing, enquanto que a Internet das Coisas tem muito mais a ver com Tecnologia e Inovação.

Portanto, podemos concluir que a Internet das Coisas promove, entre outras coisas, a interação do usuário com a marca fora do momento da compra.

IoT no Brasil e no Mundo

No mundo todo, empresas buscam unificar o mundo real com o mundo virtual (o que configura a chamada Indústria 4.0). Para isso, em dezembro de 2013, o Allseen Alliance foi fundado com o apoio de mais de 51 grandes empresas, como a LG, Panasonic e Microsoft.

O destaque mundial, no entanto, vai para Barcelona. Ela é a líder mundial em oferecer tecnologias para o mundo real.

A cidade conta até com uma equipe especial em sua prefeitura, chamada Barcelona Ciutat Digital, que já iniciou mais de 83 projetos inovadores em 12 áreas de intervenção, a fim de melhorar a qualidade de vida dos moradores e turistas. Esses projetos envolvem melhorias no transporte, uso inteligente dos recursos energéticos, gestão do lixo, entre outros.

No Brasil, o escritório do W3C, responsável pela criação do World Wide Web, é quem está à frente de difundir o conceito para o país todo. No entanto, o conceito aqui no Brasil caminha a passos curtos, pois o custo elevado das tecnologias representa ainda o maior empecilho. Descubra como o Bitrix24 pode te ajudar aqui.

Como a Internet das Coisas pode afetar o

meu negócio?

Depois de conhecer vários exemplos e entender a maneira como a Internet das Coisas impacta na sua vida pessoal, chegou a hora de entender como IoT pode afetar seu negócio.

Diversas áreas podem implementar melhorias, como, por exemplo, o setor de saúde, segurança e o setor de educação, inclusão digital e cursos online.

Veja abaixo algumas formas em que ela pode afetar o seu negócio.

Você precisa inovar o mais rápido possível

É claro que a IoT, aliada à uma estratégia de Transformação Digital, vai abrir muitas portas, dando muitas possibilidades de negócios para aqueles que são visionários.

Como vimos acima, não precisa ser uma potência no mundo dos negócios para se ter boas sacadas e, naturalmente, quem tiver o maior domínio dos recursos tecnológicos vai levar vantagem.

Portanto, corra atrás de bons profissionais e invista softwares dentro de sua empresa. E, o mais importante, nunca – nunca mesmo – fique parado no tempo.

Mantenha os olhos bem abertos na concorrência e em diferentes segmentos, se mantenha atualizado e sempre estudando a respeito de sua área e lembre-se de que contratar uma consultoria periodicamente nunca é demais.

Concluindo

Agora que você já aprendeu o que é Internet das Coisas e como esse conceito já está se perpetuando pelo mundo todo, com certeza, percebeu o quanto ela pode revolucionar o seu negócio.

Portanto, está na hora de tomar decisões estratégicas em sua empresa e contratar consultorias e sistemas com quem entende sobre inovação.

Te mostramos aqui que uma empresa não precisa ser grande para se beneficiar com a IoT e que, independente do seu segmento de atuação, atitudes inovadoras fazem toda a diferença.

Então, navegue pelo nosso blog para conhecer diferentes conceitos e ter grandes insights para o seu negócio.

Se ainda tem alguma dúvida, fique a vontade para deixar o seu contato aqui nos comentários que nossa equipe falará com você.

Até o próximo post!